___

Uma pequena história dos 25 anos de Aikido na UnB

ler artigo...

 

 

 

 

O Jodo no Aikido. Pequeno colóquio de Nishioka Sensei – Notas de Nossos Mestres

 

Essa conversa informal ocorreu no ano de 2006, quando o Brasil sediou o 10º Encontro da Federação Internacional de Jodo – IJF, em Belo Horizonte. Esse encontro ocorre a cada três anos, desde a criação da entidade. O primeiro encontro, sob a orientação técnica de Shimizu Sensei e liderança de Don Draeger, ocorreu na Malásia.


Deste encontro em 2006, participaram os dois maiores líderes atuais do Ocidente, ambos com o título máximo de Menkyo Kaiden: Phil Relnick e Pascal Krieger. Além deles, participaram Nobuko Relnick e Christian Chambers, ambos recebendo o Menkyo Kaiden, e Ichitami Shikanai, que recebeu na ocasião o Shomokuroku. Os títulos foram concedidos por Tsuneo Nishioka Sensei, considerado como o principal seguidor de Takaji Shimizu Sensei.


O encontro, também chamado de Gashuku de Jodo, consistiu em uma semana de treinamento, realizado em um campo de futebol, onde cerca de 80 praticantes de todos os níveis e de diversos países receberam os ensinamentos.


A prática abrangeu diversas modalidades (buki = ken e jo, kusari-gama, ko-dachi e tan-jo), iniciando às 6 h e terminando às 18h, com intervalos para o café da manhã, almoço e jantar. À noite tivemos apresentação dos mestres, palestras e demonstração de Shodo. Um dia foi destinado a descanso, passeio e meditação. A caminhada entre o campo de futebol e os alojamentos permitia troca de impressões e conversas amenas.


Numa dessas caminhadas, tive a oportunidade de conversar com Nishioka Sensei que comentava a vantagem do Jodo como Arte Marcial que poderíamos praticar até idades mais avançadas do que as permitidas no Aikido. Ele então disse que foi amigo de Morihei Ueshiba, nosso O-Sensei, fundador do Aikido. Ele comentou que, numa ocasião, O-Sensei disse que gostaria de introduzir o Shinto Muso Ryu Jodo no Aikido, pois o que ele ensinava com bastão e espada ainda estava num processo de desenvolvimento, podendo ser considerado ainda num estágio amador, comparado com os 400 anos do Jodo.
Talvez o desenvolvimento do Aikido tivesse tido outro destaque, caso essa conversação entre os dois mestres evoluísse antes do falecimento de O-Sensei. Qual seria ou vai ser nosso papel com relação à continuidade e desenvolvimento dessas Artes Marciais?

 

Nelson Takayanagi, Brasília, 26 de fevereiro de 2014 – AIZENKAI


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aizen-kai.